Skip to content
agosto 20, 2012 / Sâmia

Burrata – pra petiscar, pra acompanhar, pra impressionar, pra arrasar…

A ideia aqui era não ser básica – por sinal, quem me conhece sabe que pouco tenho de básica – era incrementar a burrata e dar o toque italiano que este queijo italiano pede…

Burrata é um queijo italiano que lembra uma mozzarella de bufala, mas ainda mais macio. Wikipedia?

Escolhi uma burrata de marca nacional, lá de Minas, de 200g. Dá suficiente para uma entrada para 2 pessoas. Comecei misturando ervas verdinhas em 3 colheres cheias de azeite de oliva numa travessa pequena funda.

Besunte (adoro essa palavra!) a burrata no azeite temperado com capricho.

Uma vez temperada, enrolei fatias de lombinho defumado na burrata e prendi com palitinhos. Aqui, você pode optar por presunto de Parma, bacon, ou, para os vegans, espinafre, couve ou qualquer outra folha firme e de sabor marcante. Levei ao forno por 10 minutos em temperatura média (180º – 200º).

Enquanto o queijo assava no forno e fazia aquele barulhinho de borbulha (“borbulhas de amor” oi?), preparei um molho de tomate sem muita técnica. Na verdade, sempre uso aqueles tomates pelados, corto grosseiramente os pedaços com semente e faço o molho com cebola, alho, azeite, tempero verde e muito sal e pimenta.

10 minutos depois, se o queijo estiver derretido e meio tostadinho nas bordas, tá pronto para ser retirado do forno. Então, é só despejar o molho de tomate por cima e se jogar!

Fica deliciosa acompanhada de torradinhas ou servida com uma salada verde…

agosto 14, 2012 / Sâmia

E a pseudo-confraria gourmande continua rendendo – salada de endívias e conchigliones gratinados

Hoje, o post do Devaneios está no estilo na sua casa, do Street Style POA, pois a última edição da pseudo-confraria uniu amigas queridas, comida de primeiríssima qualidade e inauguração de casa nova (ainda não foi na minha) – e, diga-se de passagem, que caaaasa maravilhosa!

A anfitriã, que é uma cozinheira de mão cheia, se esmerou no preparo do jantar e na recepção às amigas. Por isso, dessa vez, como fui para comer e beber e não para esfregar a barriga no fogão, este post terá muito mais imagens do que texto (até porque não lembros das receitas de cabeça). Afinal, como já diria algum metido a filósofo “uma imagem vale mais do que mil palavras”.

E, ainda, pra quem gosta de decoração, incluí algumas fotinhos dos detalhes do apartamento que abrigou nossa segunda pseudo-confraria.

Para iniciar a noite, um brinde de espumante rosé geladinha. Olha a cor liiinda deste álcool!

Bom, o menu da noite incluiu salada de endívias com geleia de damasco, queijo parmesão em pedaços e molho pesto.

Já como prato principal, conchigliones gratinados recheados com ricota, nozes, presunto de Parma e salsinha e molho de tomate caseiro.

Tomates frescos sem casa nem sementes.

E o azeite aromatizado?

Pra deixar o molho com aquele sabor especial, adicionar só uma tacinha de vinho tinto… Ou duas!

Enquanto o prato assa, os pezinhos impacientes esperam…

Não faltou opção para esquentar o tempero dos conchigliones!

Pra acompanhar, escolhemos um vinho Shiraz australiano que foi super aprovado!

Será que tava bom?

E o melhor fica por último: o lavabo phyno da amiga!

agosto 9, 2012 / Sâmia

Inverno combina com risoto – e risoto combina com queijo e cogumelo!

A rotina de viagens a trabalho fez com que eu me afastasse, demasiadamente, do blog. Me desculpem queridos! Enfim, depois da explicação, vamos ao que já está em falta neste espaço: receitas!!

Como aqui no sul, quando é frio é muito frio, risotos e massas vão muito bem para, além de alimentar, aquecer os famintos. Por isso, numa noite dessas, para preparar uma jantinha especial, escolhi um risoto de queijos que é bem facinho de fazer.

O jantar era para dois, mas a quantidade que preparei alimentaria o dobro facilmente: 2 ½ xic de arroz arbóreo, meia cebola, manteiga, azeite de oliva, uma bandeja (300g) de cogumelos paris, vinho branco seco, creme de leite fresco, queijo parmesão e queijo emental em pedaços, caldo de legumes e temperos a gosto (sal, pimenta e alecrim)

Risoto é fácil de preparar, mas exige atenção. Então, abra um vinho, coloque uma música que você gosta e comece a mistura. Para facilitar a vida, deixe os ingredientes prontos para serem despejados na panela: cebola picada, manteiga fora da geladeira, cogumelos cortados em 4, queijos em pedaços pequenos, temperos separados… Frite a cebola na manteiga e um pouco de azeite, acrescente o arroz e deixe fritar por um minuto, despeje o vinho e espere o álcool evaporar. Separadamente, refogue cogumelos na manteiga, tempere e deixe a água secar um pouco, então, adicione ao arroz. Comece a misturar o caldo e mexa sempre, de forma firme e contínua. Você vai seguir adicionando o caldo e mexendo até achar que o arroz está cozido – o processo dura de 16 a 20 minutos. Prove e tempere a seu gosto. Quando o arroz estiver cozido, retire do fogo e acrescente 2 col de sopa de creme de leite fresco. Depois, despeje os pedaços de queijo e mexa até se integrarem no risoto.

Para dar uma leveza no prato, que é bem consistente, decore o prato com uma saladinha verde, temperada com sal, pimenta, limão e azeite.

E peça para seu chéri, ou faça você mesma, abrir um bom vinho para acompanhar este prato. Neste caso, escolhemos um Gran Tarapaca Cabernet Sauvignon que combinou perfeitamente com os queijos do risoto.

PS: A última foto foi modificada pelo filtro do Instagram. Se vocês curtem este aplicativo e quiserem me seguir por lá, meu username é samitorresini.

junho 21, 2012 / Sâmia

Nhoque coisa-mais-amor – ou como transformar o basico em “uau”

Em um final de semana qualquer, para não ficar naquele dilema de escolher o restaurante menos lotado para almoçar, mas também almoçar com dignidade em casa, decidi incrementar o almoço. Mas dessa vez, o plus veio na escolha da louça e não tanto na dos ingredientes do prato.

Nesta ocasião, inaugurei um conjunto de cumbucas vermelhas com petits-pois branco coisa-mais-amor-desse-mundo em formato de coração.

Não deixemos o nhoque tão de lado, até porque estava um desbunde de bom, e anotemos os ingredientes e o passo-a-passo super simples para prepará-lo.

– meia cebola bem picadinha

– vagem torta cortada em quadrados

– presunto cru rasgado em pedaços médios (diminui bastante)

– tempero verde (usei salsinha e sálvia)

– vinho branco a gosto

– 200g de nhoque por pessoa (se for prato único, se não 100g basta)

– sal e pimenta

Em uma panela grande, coloque água para ferver e tempere com sal. Para o molho, frite as cebolas em azeite/óleo até ficarem bem douradinhas e macias, após acrescente o presunto de Parma e mexa um pouco. Em seguida, jogue o vinho branco e deixe o álcool evaporar (ou não), então coloque a ervilha torta e cozinhe por mais uns 5 minutos até amolecer um pouco. Misture metade do tempero verde ao molho e tempere com sal e pimenta a gosto

Quando a água ferver, coloque, DELICADAMENTE, os nhoques na fervura e deixe que os pedacinhos subam à superfície sozinhos. Quando isso acontecer, é porque já estão prontos! Já retirando da panela com água e passando-os à panela com o molho – assim, tudo fica bem misturadinho. Depois é só servir.

Depois de acomodar a massa nas cumbucas azimodeus, joguei um pouquinho do tempero verde e arrematei com parmesão ralado. #quemnunca?

O nhoque ficou uma delícia, mas vai dizer que, se não tivesse ficado tão bom, ainda assim, teria agradado aos olhos e, consequentemente, ao estômago?!

junho 8, 2012 / Sâmia

Crème brulée de lavandes – par Mme. Sevaux

Integrando o Devaneio Alheio, desta vez, uma blogueira e leitora querida deste blog, Cintia A.S. Sevaux. Além do sobrenome francês, herdado do marido, Cintia tem um carinho especial pelo país de Luis XV e, talvez, por isso, se identificou tanto com o Devaneios.

A Cintia também é uma apaixonada pela arte de comer e beber bem e, como ela mesma descreve, gosta de girassóis, blueberries, renda, croque monsieur e dia de sol. Vai lá no blog Brincando na Cozinha e se delicie com essa mistura toda.

Para sua primeira participação, ela nos trouxe um mimo! Uma das sobremesas mais gostosas e tradicionais da França, porém com um toque todo seu: Crème Brulée de Lavanda. Segue a receitinha:

Ingredientes (para 4 ramequins pequenos):

  • 1 xícara (250ml) de creme de leite fresco
  • 4 colheres (sopa) de açúcar
  • 3 gemas peneiradas
  • 1 colher (sobremesa) de essência de lavanda
  • 4 colheres de sopa de açúcar refinado para caramelizar
  • Acessório indispensável: maçarico culinário

Para preparar a essência de lavanda:

  • 1/4 xícara de sementes de lavanda secas (pode ser comprada em casa de chás e produtos naturais também, como chá de alfazema)
  • 125ml de vodka

Juntar as sementes à vodka em um vidro e deixar pelo menos 24 horas em local escuro (a minha tem alguns meses já).

Modo de preparo do creme:

1. Ferva o creme de leite e junte à essência, em seguida desligue o fogo e reserve até amornar. Enquanto isso preaqueça o forno a 180º.E aqueça uma caneca com água.

2. Bata bem as gemas peneiradas ao açúcar com um fouet, em seguida misture ao creme de leite com essência quando estiver amornado.

3. Distribua o creme em ramequins e coloque em uma forma em banho-maria (com água fervendo) e deixe por 20 a 25 minutos no máximo (não exceda pois isso garante a consistência perfeita, ele deve continuar molinho ao centro)

4. Retire do forno e espere esfriar, e em seguida leve ao refrigerador de preferência até o dia seguinte.

5. Na hora de servir distribua 1 colher de açúcar em cada ramequim e caramelize com o maçarico. (também pode ser usada as costas de uma colher após levar ao fogo).

A Cintia contou que o sabor deste creme brulée é muito suave e tem uma textura ótima, aveludada…. E a menina é prendada mesmo, pois a receita é dela, usando a receita tradicional (menos a fava de baunilha) e um extrato de lavanda, o que deixa a receita bem mais suave. A essência traz uma lembrança do sabor apenas, sem roubar o charme do creminho…

E agora, #comofaz se não posso provar esta delícia neste momento? Bora todas para cozinha!!!

junho 6, 2012 / Sâmia

O Bolo do Alemão – e uma promessa a ser cumprida

Não sei se já comentei por aqui, mas tenho uma queda por livrarias… Adoro me perder no meio de páginas de estórias, biografias, guias, fotos… Pois foi na minha última viagem ao Rio de Janeiro – amor eterno àquela cidade – que, finalmente, conheci a Livraria da Travessa. Depois de quase 1 hora vagando pelo espaço, saí de lá com 3 kg de livros para acomodar na bagagem. E um deles vai ser figurinha constante neste humilde blog.

Comprei o livro da Valerie Barrett, Bolo para Todos os Gostos, e me prometi fazer, pelo menos uma vez na vida, TODOS os bolos que ali estão. Nem que o último deles, eu prepare com 100 anos de idade (imagina que bonitinha!).

Então, para inaugurar o livro, perguntei no Facebook qual entre dois bolos era o preferido da galera e o escolhido foi: Bolo de Chocolate Alemão.

Agora, atenção! Como o preparo do bolo requer concentração e possui um passo-a-passo detalhado, melhor seguir a receita direitinho. Caso contrário, suas horas em frente ao forno podem resultar em nada… Mãos à obra!

Ingredientes massa:

115g chocolate amargo

175g manteiga sem sal

300g açúcar refinado

3 ovos batidos

200g farinha de trigo com fermento

1 col chá bicarbonato de sódio

1 pitada sal

250 ml iogurte desnatado

Modo de fazer massa:

1. preaqueça o forno a 180ºC. Unte e forre com papel-manteiga o fundo de 3 formas redondas de 20cm de diâmetro (eu utilizei uma única forma de 30cm e deu certo)

2. derreta o chocolate e a manteiga em banho-maria e mexa. Acrescente o açúcar. Tire do fogo e use um mixer para adicionar os ovos aos poucos, em baixa velocidade.

3. Acrescente 50g de farinha, o bicarbonato e o sal, e bata à mão. Coloque o restante da farinha aos poucos, alternadamente com o iogurte. Bata bem por 1 minuto para produzir uma massa homogênea.

4. divida a mistura nas formas e nivele (no meu caso, despeje tudo na forma). Asse por 20-25 minutos, até crescer e ficar firme ao toque (assei por 32 minutos). Desenforme sobre uma grade e deixe esfriar (quando a massa esfriou um pouco, passei a faca na metade e fiz dois discos).

Ingredientes recheio:

350g leite condensado

175g manteiga sem sal

4 gemas

2 col chá essência de baunilha

200g coco ralado

150g nozes-pecãs picadas grosseiramente

Modo de fazer recheio:

Coloque o leite condensado em uma panela e acrescente a manteiga, as gemas e a baunilha. Cozinhe em fogo médio por 10-12 minutos, sem parar de mexer. A mistura vai engrossar e ficar bem douradinha. Retire do fogo e ponha o coco e as nozes. Deixe esfriar em temperatura ambiente antes de rechear e cobrir o bolo com ela

* No meu caso, fiz um recheio beeeem gordinho e não sobrou para a cobertura. Então, derreti mais 100g de chocolate amargo, acrescentei uma caixinha de creme de leite e despejei por cima do bolo, fazendo a cobertura. Finalizei com pedaços de nozes-pecãs.

Confesso que me atrapalho um pouco quando os “modo de fazer” são longos e cheios de detalhes, mas se você deixar tudo separado antes de iniciar o preparo, fica bem mais fácil.

Como decidi assar a massa em uma forma só, foi necessário deixá-la mais tempo no forno, para completar o cozimento da massa por inteiro e as bordinhas acabaram queimando um pouco. Nada que não tenha sido corrigido logo em seguida.

Após assada, a massa foi cortada ao meio e recheada. Hummm, o cheirinho nesse momento é tudo de bom! Depois de recheá-la e cobri-la, a indicação era esperar esfriar… Sorry, mas não aguentamos!

O bolo foi parcialmente devorado ainda quente, com a cobertura de chocolate escorrendo por todos os lados. Delícia!!

Bom feriado, pipol! Aproveitem pra comer bastante pois ajuda a esquentar neste frio!

maio 8, 2012 / Sâmia

Buenos Aires, Paris, Paris, Buenos Aires

Hoje começa uma nova sessão aqui no blog! O Devaneio Alheio é um espaço que passará a receber posts de blogs e leitores queridos que tenham tudo a ver com o Devaneios e, de uma forma ou outra, já inspiram os conteúdos que por aqui circulam.

Ninguém melhor para dar o pontapé inicial nesta nova sessão do que a Amanda, dos blogs super-mulherzinha e de muito bom gosto Feels Like Chocolate e Buenos Aires para Chicas, que vem nos dar dicas de lugares bem francezinhos em Buenos Aires, a nossa Paris latina.


Não é de hoje que a gente escuta o pessoal dizer que Buenos Aires é a Paris da América do Sul, não é? E olha, vamos ser sinceros, é a realidade. Quando eu comecei a fazer esse post eu fiquei doida-doida-doida porque é tanta coisinha francesa nessa cidade que meodeos! Mas enfim, a-c-h-o que vou conseguir convencer vocês de que Paris está em vários lugarezinhos aqui.

Um deles é a must-go loja Paul French Gallery. Bom, já está no nome não é mesmo? Mas tenho que avisar, ela passa totalmente despercebida, porque é só um corredor cheio de plantas e flores lindas por fora…

Mas por dentro, o bicho pega, totalmente! Só tem coisa linda, gente. Mas tudo é muito caro, por isso te controla. Almofadas cheias de artesanatos, perfumes próprios, um rústico-provençal chique que não ostenta brilho, mamãe já dizia ‘’less is more’’.

Ainda, pra completar essa loja, a mais linda de decoração de Buenos na minha modesta opinião, tem uma floricultura linda de morrer lá dentro e a uma filial da Tealosophy, marca de chás divinos que vocês vão se encantar só pelo cheiro. Enfim, a Paul é um achado ótimo!

Outro lugar que eu estou amando ultimamente é o cafezinho mais frou-frou da Recoleta, o Bonjour Paris. De decoração à la Provence tudo ali inspira para uma tarde repleta de doces mimados e uma boa companhia.

Olhem só o encanto dessa decoração, qualquer jovem francesa iria querer morar aqui. Aliás não só francesa, eu também…

Falando então de gordice, eu sugiro o café Versailles, mais francês impossível pelo nome, ele vem com metade da bebida em café preto e a outra metade em chocolate quente. E eu simplesmente caí de amores por essa combinação. Doce e fácil de se apaixonar.

E caí de amores também pelo brownie generoso que pedi e assim, eu saí de lá mais feliz, e claro, mais afundada na gordice.

Buenos é uma Paris mesmo, né?

Paul French Gallery

http://www.pauldeco.com

Gorriti 4865 – Palermo Soho, Buenos Aires.

Bonjour Paris

http://www.facebook.com/BonjourParisRecoleta

Uruguay 1145. Recoleta, Buenos Aires.

Seguir

Obtenha todo post novo entregue na sua caixa de entrada.

Junte-se a 49 outros seguidores

%d blogueiros gostam disto: